Uma equipa de investigadores observou, esta quarta-feira, pela primeira vez uma linha de neve dentro de um disco protoplanetário depois da explosão de uma estrela jovem, anunciou o Observatório Europeu do Sul (ESO).

O estudo foi realizado a partir dos dados captados pela conjunto de antenas do observatório ALMA (Atacama Large Millimeter/submillimeter Array), instalado no deserto de Atacama, no Chile.

“As observações do ALMA foram uma surpresa para nós”, avançou o diretor da investigação, Lucas Cieza.

O ESO explicou que esta ideia de existir neve em órbita no espaço é "fundamental para a formação do planeta" uma vez que "a presença de gelo de água regula a eficácia da coagulação dos grãos de poeira" e este é "o primeiro passo para a formação de um planeta". 

Fora da linha de neve, a presença de gelo permite a rápida formação de bolas de neve cósmicas, que eventualmente passam a formar planetas gasosos maciços tais como Júpiter", esclareceu o Observatório.

Os resultados deste estudo serão divulgados na quinta-feira pela revista científica Nature. Pelo relevância das observações do ALMA, os cientistas acreditam que esta foi a primeira ves que se conseguiu registar uma das etapas mais importantes na criação e evolução planetária. 

"Nesse caso, esta observação do ALMA contribuiu significativamente para uma melhor compreensão de como os planetas do universo se formam e evoluem", concluiu o ESO.