Reuters

“Os sinais são captados pelo dispositivo e são transferidos, através de um sistema wireless, para um computador. O computador processa os sinais para categorizar e reconhecer as intenções das pessoas, que depois traduz num comando para o carro”, explicou o investigador Zhang Zhao.


como por exemplo o da Google

“O desenvolvimento de carros que não necessitam de ser conduzidos podem trazer-nos benefícios, uma vez que conseguimos perceber melhor as funções que se relacionam com o controlo cerebral com a ajuda das plataformas destes carros sem condutor”, disse o professor Duan Feng, à agência noticiosa.