É mais uma prova do aquecimento global. Um dos maiores glaciares canadianos derreteu tão depressa, na primavera de 2016, que causou o desaparecimento de um rio em apenas quatro dias.

Um processo que demoraria milhares de anos aconteceu em menos de uma semana, entre os dias 26 e 29 de maio.

Na verdade, o rio não desapareceu, transferiu-se para outro lugar, um fenómeno conhecido como “river piracy”, já estudado, mas nunca antes observado.

Eis o que aconteceu de forma simples: a água que derretia do glaciar Kaskawulsh, noroeste do Canadá, escoava para o rio Slims e, depois, para o rio Yukon, que desagua no mar de Bering. No ano passado, devido ao aquecimento global, o glaciar derreteu tão rápido que a água começou a escoar na direção oposta (sul), para o rio Alsek, que desagua no Golfo do Alasca, no Oceano Pacífico.

O fenómeno foi descoberto um pouco por “acidente”, quando investigadores que iam para o local para estudar o curso de água se depararam com, a quase literal, ausência do Slims. Decidiram estudar o fenómeno e as descobertas foram agora publicadas na revista Nature Geoscience.

Daniel Shugar, professor assistente de geologia na Universidade de Washington-Tacoma, sente-se “muito sortudo” por ter conseguido documentar esta mudança geológica.

É a primeira vez que podemos confirmar que ocorreu ‘river piracy’ mesmo à nossa frente, e devido às alterações climáticas. Fomos para o local à espera de pouco fluxo [de água] e não encontramos qualquer fluxo. (...) As alterações climáticas vão trazer alterações que não conseguimos antever", afirmou Shugar à CBC News.

Também James Best, professor de geologia e geografia na Universidade de Illinois e colega de Shugar, relatou as diferenças evidentes causadas pela ausência do curso de água.

Onde antes havia águas baixas e azuis há, agora, sedimentos expostos. O vento daquela zona levanta a terra e areia, criando tempestades de areia", acrescentou.