A Câmara Municipal de Lisboa (CML) criou uma plataforma online onde os residentes podem anunciar projetos próprios para desenvolver a cidade e pedir doações monetárias para os concretizar.

Chama-se "Boaboa" e funciona como uma espécie de “vaquinha” virtual, semelhante um site de “crowdfunding”, nos quais os projetos são previamente aprovados e depois apresentados à população, que depois pode investir um determinado valor naquele com que mais se identificam.

Todos os cidadãos podem participar com os seus projetos, desde que os mesmos venham a ter um impacto direto e positivo em Lisboa. Até ao momento, a Câmara Municipal da capital já recebeu vários projetos que vão desde a construção de parques infantis até a confeção de roupas e brinquedos para crianças carenciadas.

A população muitas vezes quer ajudar, mas não sabe ao certo como fazê-lo. Com esta plataforma, basta escolher um projeto e fazer a doação”, diz Fernando Monteiro, funcionário da CML e responsável pela plataforma de financiamento à BBC.

Segundo o responsável, as pessoas sentem-se seguras ao fazer as doações, pois sabem que há uma fiscalização e que o valor será utilizado para o que foi prometido.

Dado que a falta de financiamento tem sido uma das principais razões para que sejam evitados os novos projetos empreendedores, com esta plataforma Lisboa aposta em dois fatores para promover o crescimento. O primeiro é a facilidade para a transferência de recursos doados e o segundo o envolvimento da própria população local.

Quando o projeto é aprovado, o dinheiro angariado é transferido no máximo em dois dias aos idealizadores", afirma Fernando Monteiro.

A plataforma para além de apoiar aqueles que ainda estão a iniciar os seus projetos, também ajuda empresas com um negócio já consolidado.

Um exemplo do potencial do crowdfunding social está numa empresa que apresentou seu projeto na nossa plataforma. Eles estão num bairro social da Ameixoeira. Esta empresa produz bijuterias e vestidos, o que não parece ser nada demais. Mas, no fundo, ela está a gerar trabalho aos moradores da comunidade, o que faz com se sintam integrados a toda a cidade”, exemplificou o responsável pela plataforma.

A “vaquinha” virtual foi lançada há quatro meses e neste período já aprovou quatro projetos, sendo que outros 20 serão lançados em breve. A acessibilidade e baixo custo de manutenção da plataforma são algumas das suas características apelativas e que podem ser implementadas em outras cidades.