O ano de 2013 poderá ser um dos dez mais quentes desde 1850, segundo a Organização Mundial de Meteorologia (OMM), sendo que em Portugal continental a temperatura está a ser 0.4 ºC superior ao valor médio.

Em Portugal continental, «a temperatura média registada no período entre janeiro e outubro foi cerca de 0.4°C superior ao valor médio registado entre 1971 e 2000», refere o Instituto Português do Mar e da Atmosfera, sublinhando que valores superiores aos registados este ano ocorrem em cerca de 30% dos anos.

Por isso, em Portugal, o ano de 2013 não ficará entre os dez mais quentes, ainda que a temperatura média seja próxima ou superior ao valor médio.

Segundo a Organização Mundial de Meteorologia, o período entre janeiro a setembro de 2013 foi o sétimo mais quente, com temperatura global média de 0.48°C superior ao valor médio entre 1961 e 1990.

Este ano, as temperaturas globais mantiveram-se altas e ocorreram vários fenómenos extremos de grande impacto, designadamente cheias na Europa Central (as maiores dos últimos 60 anos) em finais de maio e princípio de junho, e a situação de seca severa (a maior dos últimos 30 anos) em Angola e na Namíbia.

Mais recentemente, o tufão Haiyan atingiu na semana passada as Filipinas, transformando-se no evento extremo mais intenso do ano: a intensidade do vento, em terra, atingiu dos valores mais elevados de sempre.