Barack Obama quer que o próximo "salto gigantesco para a humanidade" aconteça em Marte, em 2030. O presidente norte-americano anunciou que os Estados Unidos querem levar humanos ao planeta vermelho em 14 anos, num artigo de opinião publicado esta terça-feira pelo site da CNN.

“Estabelecemos um objetivo claro para o próximo capítulo da história da América no Espaço: enviar humanos a Marte em 2030 e fazê-los regressar à Terra de forma segura, com a ambição de um dia ficarmos lá por um maior período de tempo”, escreveu Obama.

O paralelismo é inevitável. Em 1961, o presidente norte-americano, John F. Kennedy, afirmou que queria que o Homem fosse à Lua até ao final da década e, em 1969, o obetivo cumpriu-se com a missão Apollo 11. Hoje, 47 anos depois, é Barack Obama quem expressa a vontade de pisar solo até agora desconhecido.

Para isso acontecer, o líder dos Estados Unidos, que se prepara para abandonar a Casa Branca no final do ano, afirma que é necessário haver uma cooperação contínua entre o Governo e as empresas privadas ligadas à tecnologia e à inovação.

Obama adianta, neste texto, que já há mais de mil empresas em quase todos os estados norte-americanos que trabalham em iniciativas espaciais privadas. E que em dois anos, tecnológicas privadas vão poder enviar, pela primeira vez, astronautas para a Estação Espacial Internacional.

O presidente norte-americano recorda algumas das suas memórias sobre as conquistas americanas neste domínio e passa em revista os feitos alcançados durante os seus mandatos, como a descoberta de água em estado líquido em Marte e a existência de água numa das luas de Júpiter.

As ideias de Obama para o campo da exploração espacial surgem na semana em que a Casa Branca promove um encontro em Pittsburgh com cientistas, engenheiros e estudantes, que terá como objetivo o desenvolvimento de estratégias para a exploração espacial e a definição das próximas "fronteiras".