Provavelmente, foi esta a chave para o sucesso de Bill Gates. O homem mais rico do mundo, que celebra esta quarta-feira 60 anos, já tinha uma noção do que seriam os dias de hoje há mais de 15 anos. 

De acordo com o The Independent, no livro “A Empresa na Velocidade do Pensamento”, o empresário dá algumas dicas de como os negócios deviam adaptar-se para prosperar na era digital, mas também se arrisca a desenhar o futuro.

Aqui estão cinco coisas em que acertou:
 

Os smartphones 


De acordo com o livro lançado pelo fundador da Microsoft, as pessoas iriam “andar com dispositivos, que permitem que se mantenham em contacto".
 

"Vão poder ver as notícias, consultar os voos que tiverem marcado, receber informações dos mercados financeiros e fazer, basicamente, tudo nestes aparelhos”.


Parece-lhe familiar?
 

Câmaras de vigilância em casa


Pode parecer algo banal, mas em 1999 era difícil imaginar um sistema de vídeo que permitisse ao utilizador ver em direto o que se passava, por exemplo, em sua casa. Mas o empreendedor achava que um dia seria possível ter “feeds constantes de vídeo das nossas casas”, em tempo real, que informariam sempre que alguém fosse visitar o local, mesmo se não estivesse ninguém no edifício.

Bill Gates acertou mais uma vez. Hoje temos sistemas de CCTV, que podem ser acedidos remotamente e que até podem emitir alertas para os telemóveis ou computadores.
 

Publicidade dirigida


Há 16 anos, o empreendedor já tinha percebido que a publicidade para as massas não funcionaria nos dias de hoje. A solução seria a publicidade dirigida a cada consumidor individualmente. O “target marketing” nasceu alguns anos mais tarde e foi potenciado com a implementação efetiva da Internet.
 

“Os dispositivos vão ter publicidade inteligente. Vão conhecer as suas tendências de compra e vão mostrar anúncios que são desenhados para as suas preferências."

 

Chats privados online


O dono da Microsoft também falou das redes sociais muitos anos antes de estas terem aparecido. No livro, de 1999, Bill Gates afirma que, nos dias de hoje, iriam haver “websites privados”, usados no quotidiano, para comunicar com a família e os amigos. Estes chats seriam utilizados para falar e marcar eventos.

Para além disto, Bill Gates também afirmou que as comunidades não seriam definidas pelo local, mas pelos interesses que partilhavam.
 

Comparação de preços 

“Serviços de comparação automática de preços vão ser desenvolvidos, permitindo às pessoas ver preços em vários websites. Não vai ser preciso qualquer esforço para encontrar o produto mais barato, em qualquer indústria”.


Hoje temos múltiplos sites para este fim, como o Go Compare, Compare the Meerkat ou o confused.com.