As mulheres que amamentam durante seis meses ou mais tempo têm menos probabilidade de vir a ter diabetes do tipo 2, revela um estudo publicado na revista médica JAMA Internal Medicine.

O risco de diabetes do tipo 2 nestas mulheres cai para 47% quando comparado com o de mulheres que nunca amamentaram.

As mulheres que amamentaram por um período inferior a seis meses têm menos 25% de probabilidade de vir a ter diabetes.

O estudo, realizado por uma equipa científica da organização de cuidados médicos norte-americana Kaiser Permanente, partiu de uma amostra de 1.238 mulheres que não tinham inicialmente diabetes.

A investigação, ao contrário de outras, acompanhou as mulheres durante a sua idade fértil, procurando sinais de diabetes antes e depois da gravidez.

A equipa científica teve em consideração fatores de risco, como obesidade, estilos de vida ou antecedentes familiares de diabetes, e resultados perinatais.

Vários processos biológicos podem explicar os efeitos protetores da amamentação no organismo, como a influência das hormonas associadas à lactação nas células do pâncreas que controlam os níveis de insulina no sangue.

De acordo com os autores do estudo, a incidência da diabetes diminuiu de forma gradual, à medida que a duração da amamentação aumentou, independentemente da raça da mulher, da diabetes gestacional, dos hábitos de vida, do tamanho corporal e de outros fatores de risco metabólicos medidos antes da gravidez.