Se está a pensar fazer uma tatuagem saiba que a cor da pigmentação pode estar associada ao risco de desenvolver cancro. A cor vermelha é a "mais perigosa", de acordo com um estudo da Agência Europeia de Químicos, mas as azuis, verdes e pretas também são arriscadas.

De acordo com o The Telegraph, as reações alérgicas da pele variam mediante a cor que é utilizada na tatuagem: as vermelhas podem provocar dermatites - inchaço e dor -, já as azuis, verdes e violeta podem causar granulomas, que são pequenos inchaços na pele em forma de borbulha. Em alguns casos, os sintomas podem permanecer durante muitos anos, por isso, importa saber a constituição das tintas. 

Segundo os cientistas, a principal preocupação reside no facto de não existir uma regulamentação para as tintas utilizadas nas tatuagens. Algumas são importadas da China e contêm produtos químicos que são tóxicos para a pele. Ou seja, quando implementados na pele, em certos casos os produtos desencadeiam reações alérgicas graves, que podem provocar uma mutação genética e aumentar a probabilidade de desenvolver uma doença cancerígena. 

As maiores preocupações são as alergias provocadas pelas substâncias presentes nas tintas e possíveis efeitos tóxicos cancerígenos, mutagénicos ou reprodutivos”, diz o relatório.

Face à ameaça dos produtos tóxicos, a Agência Europeia de Químicos pretende reverter o processo e deverá criar, dentro de um ano, uma lista com os produtos químicos mais utilizados na composição das tintas para tatuagens e investigar se devem ser retirados do mercado europeu. 

A verificar-se a situação, os primeiros a sair do mercado seriam os produtos químicos mutagénicos, os mais perigosos para a saúde, uma vez que podem alterar as células do ADN humano, originando consequentes mutações que podem desenvolver um tumor maligno cancerígeno. 

Mas, de acordo com o DailyMail, não se tratam apenas de problemas oncológicos. Os compostos químicos mutagénicos podem também afetar a fertilidade nas mulheres e, inclusive, o desenvolvimento da gestação durante a gravidez. 

Tendo em conta os problemas associados e numa altura em que as tatuagens são, cada vez mais, uma prática comum, o relatório alerta ainda para que as pessoas com tatuagens e sintomas alérgicos na pele, consultem um especialista de saúde.