As ações da Microsoft caíram mais de 12 por cento na sexta-feira. A empresa registou a maior queda em 13 anos, um dia depois de ter anunciado os resultados trimestrais dececionantes. Em causa, a fraca procura pela última versão do sistema operacional Windows e as vendas do tablet Surface que estão abaixo do esperado.

A queda ocorre depois da empresa ter atingido novos máximos tendo em conta os últimos cinco anos. A atual quebra é a maior desde abril de 2000, época em que a companhia vivia uma disputa com o governo dos EUA e a bolha da Internet estava a perder força.

As perdas de sexta-feira representam cerca de 36 mil milhões de dólares de queda no valor de mercado da companhia. Num só dia, o tombo foi maior do que o tamanho da rival Yahoo.

A Microsoft teve um lucro trimestral abaixo do esperado. No início desta semana, a Microsoft adiantou que estava a cortar drasticamente os preços do Surface para atrair consumidores, reduzindo o valor dos aparelhos no inventário.

A Microsoft lançou o tablet Surface no ano passado em desafio ao iPad, da Apple, mas as vendas não têm cumprido as expectativas.

«Os potenciais motores de crescimento da Microsoft (Windows 8, Surface) parecem estar a perder força, enquanto entramos no ano fiscal de 2014», disse David Hilal, da FBR Capital Markets, num relatório, que acrescenta que a receita do Windows no trimestre passado ficou 9 por cento abaixo das expectativas.