Os homens e mulheres expostos ao Zika devem aguardar vários meses antes de tentarem ter filhos. O alerta foi dado, esta sexta-feira, pelo Centro norte-americano de controlo e prevenção de doenças.

As mulheres a quem tenha sido diagnosticado o virus Zika devem aguardar, pelo menos, oito semanas antes de tentarem engravidar, refere a Reuters segundo indicações dos organismos de saúde norte-americanos. Os homens expostos ao Zika são aconselhados a tomar precauções nas suas relações sexuais durante pelo menos seis meses.

No caso de um casal exposto ao vírus, é aconselhável aguardar pelo menos oito meses até tentarem ter filhos, de forma a diminuir o risco de microcefalia no feto.

Este alerta é justificado pelo tempo de incubação do virus no sangue e no sémen humanos.

O vírus do Zika, transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, provoca sintomas gripais benignos, mas está também associado a microcefalia, assim como ao síndrome de Guillain-Barré, uma doença neurológica grave.

O Brasil, o país mais afetado pelo surto de Zika, confirmou 907 casos de microcefalia em 198 de bebés que morreram devido a este problema congénito desde o início do surto de vírus zika, em outubro, indicaram as autoridades, esta terça-feira. As autoridades de saúde estão ainda a analisar 4.293 casos suspeitos, informou o Ministério da Saúde, citado pela Lusa.

Cientistas no Brasil afirmam que o aumento dos casos de microcefalia – em que o bebé nasce com a cabeça com um tamanho abaixo do normal e frequentemente com o cérebro não totalmente desenvolvido – está ligado a uma explosão do vírus Zika, transmitido por mosquito, com a estimativa de 1,5 milhões de pessoas infetadas.