Os passageiros do voo da Ryanair FR5484 entre Madrid e Porto foram esta quarta-feia à noite obrigados a sair do avião pouco antes da partida com a justificação de que o aparelho iria afinal para Ibiza.

De acordo com um dos passageiros, a situação gerou protestos e a Guarda Civil de Espanha esteve presente na operação de evacuação do avião, um Boeing 737-800, com capacidade para cerca de 200 pessoas, mas não chegou a intervir.

A agência Lusa tentou, sem sucesso, contactar a Ryanair para ouvir as explicações da companha aérea irlandesa de baixo custo sobre este incidente.

Segundo o relato feito à agência Lusa, a mudança de destino para Ibiza foi comunicada pela tripulação aos passageiros depois de o embarque estar concluído e de já terem sido apresentadas as regras de segurança, quando o avião estava prestes a descolar. Foi dito aos passageiros que a ligação Madrid-Porto seria feita uma hora mais tarde.

Depois, a partida do voo FR5484 de Madrid para o Porto esteve prevista para as 23:30, mas acabou por acontecer apenas perto das 00:00 de Madrid (22:30 e 23:00 em Lisboa, respetivamente).

Durante a espera no Aeroporto de Barajas, os passageiros tiveram direito a uma sanduíche, mediante a apresentação do cartão de embarque.

De acordo com as informações recolhidas pela Lusa, a tripulação terá sido informada com atraso da mudança de destino do avião.

Quando decorria o embarque, houve passageiros que receberam uma mensagem via SMS da Ryanair a avisar que o voo FR5484 iria partir com atraso, e alguns confrontaram a tripulação, que na altura negou qualquer alteração.