Os veleiros da Volvo Ocean Race chegaram esta madrugada a Lisboa, depois de um ligeiro atraso que não desanimou as duas centenas de pessoas que àquela hora aguardavam junto à doca de Pedrouços, em Belém.

A chegada do primeiro barco estava prevista para as 05:00, mas a ausência de vento adiou a chegada do vencedor da sétima etapa da VOR, o holandês Brunel, para as 06:09, depois de nove dias isolados em alto mar. Cerca de 20 minutos depois, seguiram-se os espanhóis da Mapfre.

Já com pés em terra firme, a equipa liderada por Bouwe Bekking subiu ao pódio para receber o troféu de Lisboa entregue pela ministra da Agricultura e do Mar, que, desde cedo, também acompanhou a chegada dos veleiros.

"Do ponto de vista de promoção turística de Portugal e Lisboa tem um impacto incrível. Portanto, temos tudo a ganhar do ponto de vista económico e de festa", sustentou Assunção Cristas.

Também o diretor da etapa portuguesa, José Pedro Amaral, sublinhou a beleza do momento na chegada a Lisboa.

"Foi gloriosa a chegada com o sol a nascer, a ponte à frente dos barcos, uma quantidade imensa de pessoas à espera destes heróis. Agora é o verdadeiro início da festa e esperar para que cheguem todos", observou.

O veleiro holandês Brunel, liderado por Bouwe Bekking, foi o primeiro a completar as 2.800 milhas náuticas (5.185 quilómetros) da etapa que marca o regresso da frota da VOR à Europa, ligeiramente à frente do espanhol Mapfre, comandado por Iker Martínez.

A frota da VOR vai permanecer até 7 de junho em Lisboa, onde vai disputar uma regata costeira no próximo dia 6, véspera da partida da oitava etapa, que vai terminar na cidade francesa de Lorient.

Após a sétima das nove etapas, Abu Dhabi lidera com 16 pontos, à frente de Dongfeng (21), Brunel (21), Mapfre (26), Alvimedica (27) e SCA (35).

A última posição é ocupada pelo dinamarquês Vestas (52), do australiano Chris Nicholson, que não concluiu a segunda regata, mas que vai retomar a prova em Lisboa, depois de concluídas as reparações no barco.