Alunos portugueses de cerca de 50 escolas britânicas desenvolveram atividades que resultaram na angariação de 6,5 mil euros para ajudar as vítimas dos incêndios de Pedrógão Grande, revelou hoje a embaixada de Portugal.

Algumas das ações passaram pela colaboração direta com os diretores dos estabelecimentos de ensino, que se associaram ao apelo para que todos os alunos se vestissem de verde ou usassem fitas verdes no pulso num determinado dia em que estava a ser recolhido dinheiro.

Houve casos de escolas inglesas que se associaram e deixaram que os alunos nesse dia não usassem uniforme para se vestirem de verde, caso em que contribuem com donativos", disse à agência Lusa a coordenadora geral do Ensino no Reino Unido e Ilhas do Canal, Regina Duarte.

A cor verde pretendia simbolizar a esperança, mas também a vontade de voltar a ver as florestas de Portugal renascerem.

A ideia surgiu de uma professora, que foi acolhida por todos os restantes docentes da rede de ensino do Instituto Camões e realizada na semana que decorreu entre 03 e 07 de julho.

As escolas que participaram estavam localizadas sobretudo na região de Londres, mas também em locais mais distantes, como a ilha de Jersey ou em Littlehampton, no sul de Inglaterra,

As atividades conseguiram angariar 5.836,31 libras (6,5 mil euros), que foram depositados na conta de solidariedade do Fundo Revita (www.fundorevita.pt).

Regina Duarte contou que muitos alunos escreveram postais com mensagens para mostrar que, apesar de viverem noutro país, mantêm presente a sua relação com Portugal.

O incêndio que deflagrou em 17 de junho, em Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, provocou pelo menos 64 mortos e mais de 200 feridos, e só foi dado como extinto uma semana depois.

Mais de dois mil operacionais estiveram envolvidos no combate às chamas, que consumiram 53 mil hectares de floresta, o equivalente a cerca de 75 mil campos de futebol.

A área destruída por estes incêndios na região Centro corresponde a praticamente um terço da área ardida em Portugal em 2016, que totalizou 154.944 hectares, segundo o Relatório Anual de Segurança Interna divulgado pelo Governo em março.

Das vítimas do incêndio que começou em Pedrógão Grande, pelo menos 47 morreram na Estrada Nacional 236.1, entre Castanheira de Pera e Figueiró dos Vinhos, concelhos também atingidos pelas chamas.

O fogo chegou ainda aos distritos de Castelo Branco, através da Sertã, e de Coimbra, pela Pampilhosa da Serra.