A Proteção Civil admite que o número de mortos causados pelos incêndios deste domingo pode chegar aos 20, admitiu à TVI24 a adjunta de operações da Proteção Civil, Patrícia Gaspar. 

"Estamos ainda a cruzar dados com as várias entidades, INEM, GNR, mas tudo aponta para que o número de mortos chegue aos 20", disse à TVI24, ressalvando que esta não é uma contabilização oficial, uma vez que as vítimas estão dispersas e é preciso confirmar todos os dados. 

O último balanço oficial da Autoridade Nacional da Proteção Civil era da madrugada e dava conta de seis mortes confirmadas e 25 feridos. Já esta manhã o presidente da Câmara de Vouzela, confirmava mais quatro vítimas mortais.  

Depois de um domingo e uma noite de inferno, e apesar da descida das temperaturas e alguma chuva, lavram ainda sem controlo 19 incêndios, em vários pontos do país. Quase 6.000 homens estão no terreno a combater as chamas em todo o país, apoiados por cerca de 1.800 veículos. 

Siga aqui toda a informação sobre os incêndios AO MINUTO. 

Segundo as últimas informações da Proteção Civil,  duas vítimas mortais morreram no fogo em Penacova, no distrito de Coimbra. As vítimas são dois irmãos que perderam a vida este domingo a tentar salvar o negócio das chamas,

A terceira vítima mortal foi registada na Sertã, distrito de Castelo Branco. De acordo com fonte do CDOS de Castelo Branco, o morto é um civil cujo corpo foi encontrado na localidade de Vale do Laço. Na mesma localidade, também devido ao incêndio, registaram-se três feridos. O fogo deflagrou na localidade de Ponte das Portelinhas, na freguesia de Ermida e Figueiredo.

A quarta e quinta vítimas mortais morreram em Oliveira do Hospital, distrito de Coimbra. 

A sexta vítima mortal foi registada em Nelas (distrito de Viseu),tratando-se uma pessoa que estava dada como desaparecida. No entanto, continua ainda desaparecida uma pessoa.