Atualizado às 16:16

As duas crianças que hoje sofreram ferimentos graves provocados por um incêndio numa habitação em Boaldeia (Viseu) tem «prognóstico reservado», revelou fonte do Hospital Pediátrico de Coimbra (HPC), para onde foram transportadas de helicóptero.

Uma das crianças, de 18 meses de idade, tem «cerca de 30 por cento da superfície corporal queimada (face, cabeça, membros superiores e inferiores)» e está «ventilada e sedada», informou o gabinete de comunicação do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), no qual está integrado o HPC.

A outra criança, de 11 anos de idade, tem «cerca de 15/20 por cento da superfície corporal queimada (membros superiores, inferiores e face)» e está «sedada».

Ambas as crianças estão clinicamente estáveis e com «prognóstico reservado», adiantou a mesma fonte.

O incêndio e explosão de gás que hoje de manhã destruiu quase por completo uma habitação unifamiliar em Boaldeia, no concelho de Viseu, provocaram uma terceira vítima, a mãe das duas crianças, que foi transportada para o Hospital de São Teotónio, naquela cidade.

O alerta foi dado às 10:32 e é ainda desconhecido se o incêndio foi desencadeado pela explosão ou se foi esta a provocar as chamas.

Para o local foram mobilizados meios dos bombeiros municipais e voluntários de Viseu, da PSP e do INEM além do helicóptero da Proteção Civil estacionado em Santa Comba Dão, disse à agência Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Viseu.