A Direção-geral de Saúde emitiu um comunicado com recomendações a propósito do vírus Zika, que deverão ser seguidas por homens e mulheres que tenham viajado recentemente e estejam de regresso a Portugal. No país, há já registo de vários casos de infeção e os conselhos da DGS tornam-se tão mais úteis dado que os EUA confirmaram o primeiro caso de transmissão por via sexual

 

Mulher regressada de uma área afetada, que esteja ou pense poder estar grávida

- Deverá fazer tratamento, realizar análises e ecografia. Caso seja detetada microcefalia, calcificações intracranianas ou outras alterações do sistema nervoso central, deverá fazer amniocentese. Caso o resultado sejam "sem alterações", ainda assim a DGS aconselha a repetir a ecografia de 4 em 4 semanas. 

 

Mulher que não está grávida

Se apresentar sintomas do vírus, deve realizar tratamento e evitar engravidar durante 28 dias.

Nota: os mesmos cuidados devem ser tidos em conta no caso de o parceiro sexual ter regressado de uma área afetada.

 

Mulher em idade não fértil

É apenas recomendado o tratamento sintomático.

 

Homem regressado de área afetada

Se apresenta sintomas:

- Deve realizar tratamento e, não esquecer, utilizar preservativo nas relações sexuais durante 6 meses, "à luz do princípio da precaução e segundo os conhecimentos atualizados".

Se não apresenta sintomas:

- Deve utilizar preservativo nas relações sexuais durante 28 dias.

Nota: a DGS sublinha que estas medidas devem ser cumpridas "à luz do princípio da precaução", em especial se a mulher está grávida ou está a planear engravidar.

 

Leia também:

Vírus Zika: o que é e como se transmite

Recomendações da DGS sobre o Zika