A Câmara Municipal de Vila Franca de Xira reforçou hoje os níveis de cloro na água disponibilizada na rede pública, por causa do surto de 'legionella' no concelho, anunciou a autarquia em comunicado.

A autarquia sublinha que, como medida preventiva, ao longo do dia de hoje mantiveram-se encerradas as piscinas e pavilhões de Vialonga, Forte da Casa e Póvoa de Santa Iria e foram reforçados «os níveis de cloragem da água disponibilizada na rede pública».

Segundo os dados divulgados hoje pela Direção-Geral de Saúde, foram identificados até agora 278 doentes infetados com legionella, mantendo-se as cinco vítimas mortais reportadas na segunda-feira.

Hoje, o ministro do Ambiente, do Ordenamento do Território e da Energia, Jorge Moreira da Silva, anunciou uma ação inspetiva extraordinária à empresa Adubos de Portugal, em Vila Franca de Xira, para averiguar um eventual crime ambiental, relacionado com o surto de legionella.

A Organização Mundial da Saúde considerou hoje como «uma grande emergência de saúde pública» o surto daquela doença, mas sublinhou que «a água municipal foi verificada e considerada segura».

A legionella, que provoca pneumonias graves e pode ser mortal, foi detetada na sexta-feira no concelho de Vila Franca de Xira.

Recorde-se que número de  casos confirmados de infeção por legionella subiu para 278, segundo o último balanço da Direção-Geral de Saúde, que adianta ainda que apareceram 45 novos casos nas últimas horas. ​ 

Também hoje a Direção-geral da Saúde confirmou que há um caso de legionella num doente em Luanda, Angola, e outro em Lima, Peru, ambos em pessoas que estiveram em Vila Franca de Xira, onde há um surto desta doença.