A Câmara Municipal de Vila Franca de Xira anunciou esta noite que não vai, para já, acionar o Plano Municipal de Emergência, em resposta ao surto de legionella, mas garantiu que vai manter monitorização permanente.

O anúncio foi feito esta noite, em conferência de imprensa, pelo vice-presidente da autarquia, Fernando Ferreira, à saída de uma reunião da Comissão Municipal de Proteção Civil.

«Iremos manter a monitorização imediata e permanente, a medida de encerramento dos equipamentos desportivos, assim como manteremos desligados os sistemas de rega e as fontes ornamentais», disse.

Ministro da saúde diz que vão aparecer mais casos

Fernando Ferreira adiantou, contudo, que irá ser realizada uma nova reunião na quinta-feira para reavaliar a situação.

A Câmara de Vila Franca de Xira decretou, no domingo, por recomendação da Direção-Geral de Saúde (DGS), o encerramento provisório dos equipamentos desportivos das freguesias de Póvoa de Santa Iria, Forte da Casa e de Vialonga, as que registaram mais casos de surto de legionella.

Foram ainda suspensas as aulas de Educação Física nas escolas e desligados os sistemas de rega e as fontes ornamentais.

Desde sexta-feira foram registados e confirmados 233 casos de pessoas infetadas com a bactéria legionella, responsável pela Doença dos Legionários, uma pneumonia grave, e há 38 doentes internados nos cuidados intensivos.

Do total de 233 casos, 228 encontram-se na região de Lisboa e Vale do Tejo, três na região centro e dois na região norte, e todos, segundo a DGS, «têm ligação epidemiológica ao surto que decorre em Vila Franca de Xira».

Cinco pessoas já morreram devido a esta bactéria, cuja infeção se transmite por via aérea (respiratória), através da inalação de gotículas de água ou por aspiração de água contaminada.

O que é a legionella?