No sábado, uma outra tragédia no mar fez seis mortos, quando uma embarcação de recreio naufragou ao largo da Costa da Caparica. Entre as vítimas está João Piloto, um homem a quem o mar já tinha sido traiçoeiro.

Há 20 anos, sobreviveu 12 horas à deriva no mar, mas desta vez a sorte não esteve do seu lado. Dos sete tripulantes, apenas sobreviveu o dono da embarcação.

João Piloto, 66 anos, era viciado na pesca. Há 20 anos mediu forças com o mar e então levou a melhor. O filho, João Paulo, contou à TVI que nesse dia o pai foi o único sobrevivente de uma naufrágio em que perderam a vida dois homens, resistindo 12 horas dentro de água, em fevereiro, na Figueirinha.

Desta vez, uma onda apanhou os sete tripulantes desprevenidos. Vinham do Cabo Espichel para Lisboa e a embarcação virou pelas 19:30. A família começou a estranhar a ausência de notícias.

«Já era bastante tarde. Quando digo bastante tarde, digo 20:30 da noite, já era muito tarde para quem vai à pesca desportiva. Fiz tentativas de ligação com o meu pai e com colegas dele mas não consegui», contou João Paulo.

O pai, João Piloto, deixa mulher, dois filhos e três netas.

Apenas o dono da embarcação sobreviveu ao naufrágio. Michel Almeida, 37 anos, é mecânico na oficina do pai e está a recuperar do choque.

Seis homens entre os 38 e os 69 anos perderam a vida na Caparica.