Uma professora de Famalicão foi operada ao olho errado e exige 250 mil euros de indemnização. Esteve oito meses de baixa.

A cirurgia ocorreu no Hospital da CUF de Matosinhos e o oftalmologista está acusado pelo Ministério Público (MP) de ofensas à integridade física por negligência, escreve o Jornal de Notícias neste domingo.

Olímpia Moreira, docente de 46 anos, sofria de miopia e estrabismo no olho direito. Ao decidir-se pela operação, foi encaminhada para aquela unidade da CUF. A intervenção, normalmente realizada com anestesia local, foi efetuada sob anestesia geral a pedido da professora.

Para o MP, o médico não estudou o processo clínico da paciente e não se certificou de qual olho tinha de operar. E em vez do direito, operou o esquerdo. Mal terminou, apercebeu-se do erro e tratou de retificá-lo, sem sequelas para a paciente, assegurou.

A vítima queixa-se de ter estado oito meses sem trabalhar devido à operação e exige ser indemnizada.