A Guarda Nacional Republicana (GNR) registou, durante os quatro dias da «Operação Páscoa», menos acidentes e menos mortos do que na operação do ano passado, mas mais feridos graves, terminando com três vítimas mortais.

Num comunicado enviado esta manhã para as redações, a GNR dá conta que, entre as 00:00 de dia 17 de abril e as 24:00 do dia 20, registou 591 acidentes, menos 212 do que na mesma operação em 2013. A primeira informação, divulgada pela Lusa citando fonte da GNR, tinha apontado para 608 acidentes.

Destes 591 acidentes resultaram três mortos, o que representa uma diminuição de cinco vítimas mortais em relação ao ano passado.

Em relação aos feridos graves, a GNR registou 23, mais 14 do que em 2013. Já no que diz respeito aos feridos ligeiros, o número desceu, passando de 290 em 2013 para 191 em 2014.

De acordo com a GNR, esta operação teve como objetivo patrulhar as «vias mais criticas», com vista a «combater a sinistralidade rodoviária, regular o trânsito e garantir o apoio a todos os utentes das vias, proporcionando-lhes uma deslocação em segurança».

Sobre as várias operações de prevenção e combate à criminalidade violenta, que decorreram entre os dias 18 e 20 de abril, a GNR dá conta de ter feito 115 detenções em flagrante delito.

Destas, 59 foram por condução sob o efeito de álcool, 23 por condução sem habilitação legal, cinco por tráfico de estupefacientes, duas por posse de arma proibida, seis por furto, nove de âmbito rodoviário e onze por outros crimes.

Dentro das apreensões de droga, a GNR confiscou 188,95 doses de haxixe, 20,8 gramas de canábis e 17 selos de LDS.

Foram ainda elaborados 110 autos de notícia e 2.675 autos de contraordenação.

Estas operações decorreram nos distritos de Aveiro, Beja, Braga, Faro, Leiria, Lisboa, Porto, Santarém, Setúbal, Viana do Castelo e Viseu.

PSP não registou mortos nesta Páscoa

Onze feridos graves, menos quatro que em 2013, e 228 feridos ligeiros é o resultado dos 810 acidentes registados pela PSP durante a ¿Operação Páscoa¿, que terminou domingo.

Em comunicado, a PSP refere ainda ter detido 279 pessoas, das quais 17 por furto, 12 por posse de arma ilegal, 35 por mandado de detenção, 22 por tráfico de estupefacientes e 112 por condução com excesso de álcool.

Nos sete dias que durou a iniciativa, a PSP fiscalizou mais de 33.000 viaturas e testou mais de 6.700 condutores. Apreendeu 25 viaturas e onze armas ¿ três das quais de fogo ¿ assim como 11.500 doses de estupefacientes, cuja tipologia não especifica.

A PSP sublinha que o balanço foi ¿positivo¿ já que não houve mortes a registar no período compreendido entre 14 e 20 de abril, enquanto na operação que decorreu em 2013 se registaram dois mortos, 15 feridos graves (mais quatro que este ano) e 255 feridos graves (mais 27 que este ano).

No documento, a PSP refere ainda ter alcançado os ¿três eixos fundamentais¿ da ¿Operação Páscoa¿: diminuição da sinistralidade rodoviária, aumento da visibilidade em zonas de concentração de pessoas e aumento da pró atividade policial através de ações de sensibilização e de prevenção da criminalidade.

A PS refere ainda a colaboração havida com elementos do Cuerpo Nacional de polícia espanhola, com quem trabalharam junto dos muitos turistas espanhóis que visitaram Portugal.