A família menino de 18 meses dado como desaparecido desde a tarde de domingo na freguesia do Estreito da Calheta, na zona oeste da Madeira, suspeita de rapto, apurou a TVI, nesta segunda-feira.

Um vizinho terá ouvido um carro a travar e a arrancar com brusquidão naquela zona, que é muito frequentada por turistas.

A Polícia Judiciária (PJ) anunciou, entretanto, que foram dadas por «terminadas» as buscas para encontrar a criança.

«As buscas foram dadas por terminadas», afirmou Eduardo Nunes, coordenador da investigação, aos jornalistas, acrescentando que «todos os cenários estão abertos», continuando a ser desconhecida a localização da criança.

«Nós não sabemos o que aconteceu. Estamos a tentar recolher indícios que nos permitam perceber de facto o que aconteceu. A única coisa que sabemos é que desapareceu aqui uma criança», declarou o responsável.

Entretanto, os pais da criança, do Daniel Freitas Abreu, foram encaminhados no carro da PJ para o Funchal onde serão ouvidos, constatou a Lusa no local.

O tio da criança, Vicente Freitas, na casa de quem se encontrava a criança com os familiares, no sítio dos Reis Acima, na zona Oeste da ilha da Madeira, disse à Lusa que «não era a primeira vez que o Daniel» estava no local e que desapareceu por volta das 14:30.

«Não percebemos o que aconteceu», afirmou.

As buscas desencadeadas por elementos dos Bombeiros, PSP e PJ foram infrutíferas e interrompidas à noite, tendo sido retomadas esta manhã, reforçadas com uma equipa cinotécnica da GNR, tendo sido entretanto dadas por «terminadas».