Este ano já morreram três bombeiros e 41 ficaram feridos no combate às chamas. As vítimas mortais ocorreram todas este mês.

Miranda do Douro, Covilhã e Tondela foram os locais onde os três «soldados da paz» perderam a vida.

O ministro da Administração Interna garantiu que este ano estão a atuar 46 meios aéreos e no terreno está o maior dispositivo terrestre dos últimos anos. O problema maior consiste nas altas temperaturas e nos difíceis acessos.

Os dados da Liga dos Bombeiros revelam que, no espaço de 30 anos, 208 bombeiros perderam a vida e centenas ficaram feridos em combate.