O Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa decretou prisão preventiva para os sete detidos pelo SEF por imigração ilegal no âmbito de uma operação desenvolvida em Portugal e França, indicou esta terça-feira aquele serviço de segurança.

Segundo o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, sete pessoas foram detidas em Portugal e outras sete em França no âmbito de uma operação desencadeada, no sábado, em simultâneo nos dois países.

O SEF adianta que a investigação criminal decorria há cerca de um ano e visava um grupo de pessoas que se dedicavam ao transporte de imigrantes em situação ilegal de vários países da União Europeia para Portugal, onde regularizavam a sua situação recorrendo a documentação falsa ou obtida de forma fraudulenta.

A operação policial realizada pelo SEF, em coordenação com as autoridades francesas e em colaboração com a polícia espanhola, resultou também na apreensão de 30 telemóveis, 43 cartões de telemóvel, cinco aparelhos GPS, computadores pessoais, 30 mil euros em dinheiro e documentação diversa, incluindo a prova de transferência de dezenas de milhares de euros provenientes da atividade criminosa.

O SEF indica também que os quatro cabecilhas da organização criminosa foram detidos em Portugal.

No âmbito da operação foram ainda efetuados vários mandados de busca em domicílios, estabelecimentos e em veículos.

Durante a investigação, denominada «Operação Batedores», os movimentos da rede foram atentamente vigiados, recolhendo-se prova «abundante da atuação do grupo, que tinha uma hierarquia própria e que auferia grandes rendimentos colhidos do pagamento dos serviços por parte dos imigrantes ilegais que angariava», refere uma nota do SEF.

De acordo com aquele serviço de segurança, as viagens faziam-se por via terrestre, em carros ligeiros e em monovolumes, tendo como origem e destino países como França, Alemanha, Suíça, Bélgica e Itália, «mediante o pagamento de elevados valores monetários».

As viaturas que transportavam os imigrantes ilegais «seguiam separadas e em permanente comunicação e, na passagem das fronteiras, a coluna era precedida por uma viatura com um só ocupante que alertava as restantes para eventuais controlos policiais», adianta o SEF.

As buscas realizaram-se no sábado, em Lisboa, Almada e Amadora, estando envolvidos na operação 55 operacionais do SEF, bem como dois polícias franceses e um analista da EUROPOL.

A investigação decorreu sob a direção da Unidade Especial de Combate ao Crime Violento do DIAP de Lisboa e foi acompanhada pelas agências europeias EUROPOL e EUROJUST.

Em França, a operação decorreu em Bordéus, onde esteve presente um elemento do SEF, que acompanhou a operação efetuada pelas autoridades francesas e serviu de oficial de ligação.