O Governo e o diretor-geral de Saúde desvalorizaram esta quinta-feira o vírus de gripe aviária detetado em novembro numa propriedade em Mértola, que levou Hong Kong a proibir a importação de carne de aves portuguesa, garantindo ser pouco perigoso.

Em declarações à agência Lusa, a propósito da manchete desta quinta-feira do «Jornal de Notícias» que adianta que foi detetado um caso de gripe aviária numa capoeira doméstica no Alentejo, Francisco George disse que o vírus detetado circula em aves é e de baixa patogenicidade em aves.

«É um vírus que circula em aves. Em relação aos seres humanos não há nenhum sinal de infeção em Portugal com este subtítulo de vírus (H7», salientou.

Francisco George explicou à Lusa que o vírus foi detetado pela Direção-Geral de Alimentação e Veterinária numa pequena exploração, isolada, de tipo familiar no Alentejo.

«Estamos a falar de um problema que foi identificado pela direção-geral de alimentação e veterinária, tendo sido adotadas todas as medidas no que respeita à proteção dos que lidaram de perto com a exploração», disse, acrescentando que todas as pessoas que lidaram com as aves da exploração estão sob vigilância médica.

Fonte do gabinete Assunção Cristas confirmou ter sido detetada, durante um controlo efetuado no âmbito do Programa de Vigilância de Gripe Aviária a 28 de novembro, um caso de gripe aviária, mais concretamente, o vírus H7, numa propriedade em Mértola.

«No âmbito do programa foram efetuadas análises laboratoriais que confirmaram tratar-se de gripe aviária, o que levou Portugal a dar o alerta à Organização Mundial de Saúde Animal e à Comissão Europeia», adiantou a mesma fonte à Lusa.

O secretário de Estado da Alimentação garantiu esta quinta-feira que foram tomadas todas as medidas de segurança para a saúde relativamente ao vírus de gripe aviária detetado na propriedade em Mértola, mas desvalorizou o caso.

«Foram tomadas todas as providências em termos de segurança para a saúde», afirmou Nuno Vieira e Brito em conferência de imprensa realizada em lisboa.

De acordo com o secretário de Estado, as medidas de segurança abarcaram uma área de um quilómetro em redor da propriedade onde foi detetado o caso.

Ainda assim, Nuno Vieira e Brito desvalorizou a situação, referindo tratar-se de «um único caso numa única galinha, numa unidade familiar em Mértola» e disse que a confirmação da análise do Laboratório Europeu deverá chegar «daqui a duas semanas».

De acordo com fonte do ministério da Agricultura, a estirpe encontrada é de baixa patogenicidade, mas por prevenção, as 63 aves da propriedade em Mértola foram incineradas e foi estabelecido um perímetro de restrição de um quilómetro em torno da zona afetada.

A proibição de Hong Kong (onde recentemente foi confirmado o primeiro caso de uma pessoa contaminada com o vírus H7) é única, segundo a mesma fonte.

De acordo com o «Jornal de Notícias», Portugal exportou 120 toneladas de aves para Hong Kong em 10 meses.

Há cincos anos que não era detetado o vírus da gripe das aves em Portugal.