Um agente da PSP reformado foi condenado pelo Tribunal de Faro a seis anos de prisão efetiva. O ex-polícia respondia por vários crimes de roubo e era elemento fundamental de um grupo que roubava idosos.

Reformado compulsivamente, o polícia, de 64 anos, tinha como função controlar a atividade policial e vigiar os locais dos crimes e as vítimas. Detido em fevereiro de 2013, foi agora condenado a seis anos de prisão efetiva por vários crimes de roubo.

O arguido aguardou o julgamento em liberdade e assim continua, até ao trânsito em julgado. Quando a GNR o apanhou, já o conhecia de outros processos.

Durante quatro anos, o grupo fez dezenas de assaltos violentos em vários concelhos do Algarve. Com o que encontrou nas buscas domiciliárias, a GNR conseguiu que fosse feita prova de grande parte dos crimes de que eram acusados.

Os alvos eram escolhidas a dedo. A maioria: idosos a morar sozinhos, em zonas rurais. Nalguns casos, agredidos para que revelassem os códigos dos cartões multibanco.

Dos seis arguidos, cinco foram condenados pelo tribunal de Faro a penas de prisão entre os quatro e os 12 anos. Um foi absolvido.