Atualizada às 14:11

A polícia que está a investigar o desaparecimento de Madelaine Mcann está a procura de um homem que terá atacado outras cinco crianças britânicas enquanto estas se encontravam de férias com a família no Algarve.

A polícia britânica, que hoje lançou um apelo «por informações adicionais» que ajudem à localização da criança inglesa desaparecida na Aldeia da Luz, em maio de 2007, adianta, numa informação disponibilizada online, que durante as investigações foi identificados «doze crimes potencialmente ligados que ocorreram entre 2004 e 2010».

Segundo a polícia, a maioria dos crimes ocorreu durante a época baixa de turismo, quando um intruso terá entrado em casas de verão ocupadas por famílias inglesas.

«Em quatro casos, ocorridos entre 2004 e 2006, o homem cometeu agressões de natureza sexual a cinco raparigas, com idades entre 07 e 10 anos, enquanto estavam na cama. Numa dessas ocasiões, agrediu duas miúdas na mesma casa», adianta a polícia.

Os polícias britânicos que lideram a Operação Grange, que investigam o desaparecimento de Madelaine Mcann, adiantam que em cada um destes casos há muitos aspectos semelhantes ao desaparecimento da criança inglesa.

«Na maior parte dos casos não houve indícios de entrada forçada na propriedade, nada foi levado, e o intruso surgiu ao início da madrugada, entre as 02:00 e as 05:00», escreve a polícia.

Desses doze delitos, quatro ocorreram no Carvoeiro, seis no Vale da Parra, zona da Praia da Galé, e dois na Praia da Luz.

Testemunhas descreveram o homem [intruso] como tendo pele bronzeada, cabelos escuros curtos e desalinhados. Falava inglês com sotaque estrangeiro, aparecia por vezes em tronco nu e outras com uma camisa de cor vermelho escuro e evidenciava uma barriga protuberante.

«Precisamos determinar a identidade desse homem», disse hoje Andy Redwood, o inspetor principal da investigação.

«Estes delitos são bastante graves e ninguém foi formalmente acusado. Também precisamos eliminar esse homem das nossas investigações e verificar se esses delitos têm ligação com o desaparecimento de Madeleine», acrescentou.

Por isso, apelou para que quem tenha sido vítima de crime semelhante fale com a polícia britânica «mesmo que já tenha reportado o incidente à polícia em Portugal ou em qualquer outro país». «Embora alguns desses delitos já estivessem anteriormente no domínio público, em consequência do apelo que fizemos em outubro, foram-nos reportados outros três como resultado direto deste apelo. Cremos que um desses relatos foi o primeiro na potencial série», reforçou.

A polícia britânica lembra que após o apelo feito no ano passado foram recebidas 5.000 chamadas que geraram novas informações e sublinha que a investigação continua.

«Ainda precisamos de estabelecer a identidade de um homem que foi visto por três testemunhas a carregar uma criança cuja descrição se encaixa com a de Madeleine, na direção da praia ou de áreas da cidade por volta das 22:00 da noite em que Madeleine desapareceu», disse.