A linha de investigação do caso Maddie está agora direcionada para um grupo cigano. Na mira das autoridades estarão três homens que terão sido vistos a rondar o apartamento dos McCann dias antes do desaparecimento e que serão suspeitos de uma onda de assaltos na zona, nas semanas anteriores.

A informação é avançada pela imprensa britânica. O «Daily Mirror» escreve que a polícia se prepara para ouvir funcionários de manutenção do Ocean Club, o resort da Praia da Luz onde os McCann passavam férias à altura do desaparecimento, a 3 de Maio de 2007, que acusaram esses três suspeitos de estarem envolvidos numa onda de assaltos que ocorreram na região.

As autoridades concentram-se nomeadamente em Luís Ferro e Mário Moreira, dois funcionários do Ocean Club que foram chamados a arranjar uma persiana do quarto de Kate e Gerry, dois dias antes de Madleine desaparecer. Luís Ferro chegou a ser interrogado pela Polícia Judiciária, quatro dias depois do desaparecimento, e ter-se-á referido a três homens de etnia cigana que estavam ativos na zona. Mas estas pistas terão sido descartadas pela polícia.

A polícia deve ainda reexaminar as declarações de uma testemunha que, na altura, disse ter visto uma menina muito parecida com Maddie dentro de uma carrinha branca conduzida por duas pessoas de etnia cigana, no dia seguinte ao desaparecimento.

O «Daily Mirror» escreve que essas pistas ganharam agora novo fôlego, depois da pequena «Maria» ter sido encontrada num acampamento cigano na Grécia.