A Câmara Municipal de Braga garante que a estrutura que ruiu na quarta-feira, matando três estudantes universitários, é da responsabilidade de um condomínio e não da autarquia.

A Escola de Engenharia da Universidade do Minho já concluiu a peritagem à queda do muro e os resultados vão seguir para a Polícia Judiciária.



A pedido da PJ, a peritagem teve início no dia imediatamente a seguir à queda da peça de mobiliário urbano que vitimou três universitários.

Segundo fonte da escola contactada pela TVI, a peritagem foi realizada por três engenheiros civis, de forma rápida e simples, estando por isso já concluída.

A peritagem incidiu sobre as condições em que se encontrava a estrutura que sustentava as caixas de correio, que se encontravam inutilizadas.

O condomínio do prédio garante ter avisado, já em 2009, por carta a Câmara de Braga do risco de derrocada da estrutura.

Esta segunda-feira, o presidente da autarquia, Ricardo Rio, esclareceu que a tutela do muro pertence ao condomínio do prédio e as queixas que deram entrada na Câmara não se reportavam àquela peça em concreto.

No local muitas pessoas vão depositando flores e símbolos dos cursos académicos para manter viva a memória dos três estudantes que morreram na noite de 23 de abril.

A Associação Académica decretou lutou e cancelou as festas do «Enterro da Gata», marcadas para maio.