A Polícia Judiciária (PJ) anunciou na sexta a detenção, no concelho de Alcobaça, de uma mulher suspeita de ter matado a filha. O pai da bebé defende a companheira e culpa o hospital.

Fonte da PJ disse à agência Lusa que inicialmente se pensou que se estava perante um caso de morte súbita de uma bebé de três meses, mas a investigação policial concluiu que a vítima «tinha ingerido metadona», um narcótico utilizado principalmente no tratamento dos toxicodependentes de heroína e outros opioides.

Segundo a mesma fonte, a mãe, suspeita de ser a responsável pela morte da filha, é uma toxicodependente em reabilitação que estava a seguir um programa de substituição de metadona.

A mulher, de 30 anos, encontra-se em prisão preventiva por decisão do Tribunal de Alcobaça, uma medida de coação que foi decretada após o primeiro interrogatório judicial.

Os factos ocorreram no mês de dezembro, na localidade de Pisões [concelho de Alcobaça], e a mulher, desempregada, é suspeita da autoria de homicídio qualificado, pode ler-se num comunicado hoje divulgado pela PJ.

A detenção foi efetuada pelo Departamento de Investigação Criminal de Leiria, acrescenta a Lusa.