Rajadas de vento com a velocidade máxima de 170 quilómetros por hora foram registadas no Corvo, Açores, na quinta-feira, tendo-se verificado, também, ondas de 10 a 12 metros, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

«No Corvo foram registadas rajadas máximas de 170 quilómetros por hora e de 130 nas Flores», as duas ilhas do grupo Ocidental disse à agência Lusa a meteorologista Fernanda Carvalho, da delegação regional do IPMA, acrescentando que, em «praticamente todas as ilhas», foram registadas rajadas de vento superiores a 100 quilómetros por hora e ondas de 10 a 12 metros.

De acordo com a meteorologista, não são muito comuns situações como aquelas que ocorreram, mas «são normais deste inverno, que tem sido bastante gravoso».

«Não é um evento extremo, mas é uma situação de tempo grave típica do inverno», referiu, indicando que «a depressão está a afastar-se para nordeste», embora ainda possam ser registadas rajadas de vento forte, mas «com tendência para diminuir ao longo do dia».

Apesar das condições meteorológicas registarem uma melhoria significativa nas últimas horas, Fernanda Carvalho indicou que «já caiu granizo em vários locais», nomeadamente em Ponta Delgada, ilha de São Miguel, «havendo ainda registo de ocorrência de trovoadas».

É uma massa de ar polar muito instável, explicou, indicando que as previsões do IPMA apontam, também, para a queda de alguma neve nas cotas superiores a 900 metros no grupo Central (Terceira, Faial, São Jorge, Pico e Graciosa) e mil metros no Oriental (São Miguel e Santa Maria).

Devido aos ventos fortes, a Proteção Civil nos Açores registou 85 ocorrências na quinta-feira, sobretudo relacionadas com quedas de árvores e telhados danificados, nas ilhas Terceira, São Jorge, Graciosa e Flores e ficaram desalojadas quatro famílias.