Sentados, no meio do Santuário, aguarelas no chão, caderno em cima do joelho. Assim estão Fernanda Lamelas e outros dois desenhadores estrangeiros, um de Hong Kong e outro do Brasil, “a ver Fátima com outros olhos”. Ainda há-de vir uma terceira ilustradora, da Polónia, que se juntará ao grupo neste propósito.

Fazem parte do grupo Urban Sketchers e, nos próximos quatro dias, vão estar pelas ruas de Fátima a fazer o retrato da cidade, mas também do momento que nela se vive.

Desenhar permite-nos ver as coisas com outros olhos. Hoje em dia, tiramos fotografias e, às tantas, elas ficam nos telemóveis e nem voltamos a olhar para elas. Enquanto desenhamos, olhamos, observamos, sentimos…”, resume Fernanda Lamelas, perante a aprovação do brasileiro Eduardo Bajzek Barbosa.

Para a arquiteta de Lisboa Fernanda Lamelas, o desenho é “ainda um passatempo”, mas que está a tomar um lugar “cada vez mais importante na sua vida”.

A arquiteta Fernanda Lamelas desenha, indiferente à curiosidade dos peregrinos que espreitam os desenhos. (Manuela Micael/TVI)

Ameaça chuva, o vento é desagradável, mas Fernanda mergulha com toda a calma o pincel nas aguarelas pousadas no chão e vai dando cor a uma imagem da Basílica da Nossa Senhora do Rosário e da Capelinha das Aparições, onde chega mais um grupo de peregrinos.

Espreitam-lhes os desenhos por cima do ombro. Há até turistas, daqueles "tradicionais", com máquinas fotográficas e telemóveis, a registar o momento. Mas Fernanda e os companheiros de projeto prosseguem indiferente. Respondem às perguntas, mas sempre sem se desviar o olhar do retrato e do objeto retratado. 

Um olhar brasileiro com coração de Penalva do Castelo

Os avós de Eduardo Bajzek Barbosa saíram da mesma aldeia, perto de Penalva do Castelo. Foram conhecer-se em São Paulo, no Brasil. Apaixonaram-se e, dessa união, nasceu o arquiteto e ilustrador que agora pinta também Fátima.

Eduardo, de 41 anos, já tinha estado no Santuário, “com a família, num dia normal”. Agora, reconhece que o sentimento é diferente.

“É especial. Estar aqui, vivenciar tudo isto, colocar tudo isto no papel…”

Eduardo há muito que deixou a arquitetura para se tornar ilustrador profissional. É também um dos impulsionadores do Urban Sketchers. Reconhece que é um privilégio poder fazer turismo através do desenho.

Eduardo viajou de São Paulo para Fátima para participar no projeto. (Manuela Micael/TVI)

No caderno que tem em cima do joelho, surge também um retrato da Basílica mais antiga do Santuário, enquadrada com a Capelinha das Aparições, mas a preto e branco. É tão realista que se podem sentir a esvoaçar as capas que protegem da chuva alguns peregrinos retratados.  

Os desenhos que daqui resultarem hão-de estar disponíveis online. É só procurar as hashtags #Fatima e #visitPortugal. A intenção do Ministério do Turismo ao endereçar-lhes o convite é mesmo essa: promover o país turisticamente.

Estes quatro dias são para retratar Fátima, no próximo mês, outros desenhadores têm já visita marcada noutra cidade de Portugal.