As duas vítimas das agressões à porta da discoteca Urban Beach estiveram a ser ouvidas esta sexta-feira numa esquadra da PSP, onde se identificaram e tentaram identificar os seguranças envolvidos.

Magnusson Brandão e André Reis contaram que se deslocaram para a zona da discoteca porque queriam ir comer às rulotes e que foram imediatamente abordados pelos seguranças.

Segundo os dois jovens, os seguranças da discoteca alegaram que estes estariam no local “para roubar”, o que ambos negam.

“Vieram ter connosco, chamaram-nos, a perguntar o que estávamos ali a fazer, e nós dissemos que estávamos a decidir se íamos entrar ou não. Eles disseram que era para roubar e um espetou-me logo um murro na boca. Eu caí, tentei levantar-me, veio outro dar-me uma cabeçada e perdi logo os sentidos. Depois vieram outros pontapear-me e ainda veio outro e deu-me uma facada.”

Magnusson foi o principal alvo das agressões e teve dificuldade em identificar os seguranças, porque ficou inconsciente.

"Se não fosse o meu amigo, eles tinham feito pior. O que eles queriam era a mim, porque senão já tinham batido aos outros que estavam comigo, mas não, eu fui o único que fui agredido."

André foi agredido porque foi ajudar o amigo. É este último que se vê no vídeo, deitado no chão, com um segurança a saltar-lhe em cima da cabeça.

“Eu tentei ajudá-lo, mas um dos seguranças, que até pensei que me ia ajudar, agarrou-me pelo casaco, atirou-me para o chão e saltou-me com os dois pés para cima.”

Ambos negam ter causado qualquer tipo de distúrbios na zona, como indica uma testemunha entrevistada pela TVI

"Não tivemos conflitos nenhuns com outros jovens, os seguranças vieram logo partir para a briga para cima de nós. Já estávamos a sair da noite, fomos para nos divertir e não para arranjar confusão", garante Magnusson Brandão. 

Os dois jovens contaram à TVI como foi difícil ver o vídeo divulgado nas redes sociais e na comunicação social.

“A minha primeira reação foi chorar, nem o consegui ver todo. Só fui vendo aos poucos… A minha mãe está traumatizada”, contou Magnusson Brandão, que levou pontos, tem a cana do nariz danificada, o lábio rebentado, uma prótese entre os dentes e hematomas nos olhos.

André Reis também confirma que é "chocante" ver o vídeo, ele que também ficou inconsciente durante as agressões. Por tudo isto, pedem justiça. 

"Isso não pode acontecer com ninguém. Não são atitudes que nenhum cidadão possa ter, quanto mais um segurança", conclui Magnusson.