Cerca de 150 estudantes da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) iniciam este mês atividades de voluntariado em mais de dez instituições de solidariedade social a operar na cidade, disse à Lusa fonte da instituição.

A iniciativa partiu da FMUP que criou este ano letivo uma disciplina de «Formação Social e Humana», no âmbito da qual desafia os jovens a integrarem no seu plano curricular 50 horas de voluntariado relacionado, de forma abrangente, com a Saúde.

«Entendemos que deve ser objetivo desta faculdade promover a formação social e humana dos estudantes de Medicina, através do contacto com o outro e com realidades da sociedade que, por vezes, lhes são completamente desconhecidas», explicou Manuel Nuno Alçada, responsável pela nova disciplina.

Manuel Nuno Alçada lembrou que, na sua vida profissional, os médicos vão ser confrontados com pacientes provenientes de todos os meios sociais. A prestação de cuidados a pessoas com deficiência, apoio a mães solteiras e visitas a sem-abrigo são algumas das atividades que os futuros médicos vão concretizar.

«Conhecer os constrangimentos próprios de quem vive num meio desfavorecido, as suas lutas e as suas dificuldades, contribui para uma melhor compreensão do doente e, em última análise, para que sejam melhores médicos», sublinhou o docente universitário.

Entre as instituições que integram a «bolsa» de voluntariado constam a Médicos do Mundo, o Banco Alimentar Contra a Fome, a Associação dos Albergues Noturnos do Porto e a VO.U (Voluntariado Universitário).