O INEM acionou, no primeiro semestre do ano, 558.282 meios de socorro para dar resposta a situações de emergência médica, mais 6,1 por cento do que em igual período de 2013, indicou hoje aquele organismo.

Segundo o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), nos primeiros seis meses do ano foram acionados mais 31.557 meios de socorro do que no mesmo período de 2013.

Do 558.282 meios acionados, a maior parte foram ambulâncias de socorro que pertencem aos bombeiros e à Cruz Vermelha Portuguesa (399.691), seguido de ambulâncias de emergência médica (86.201), viaturas médicas de emergência e reanimação (49.186) e ambulâncias de suporte imediato de vida (17.140).

As motos de emergência médica foram ativadas 5.012 vezes durante os primeiros meses do ano, as ambulâncias de transporte inter-hospitalar pediátrico 629 e os helicópteros 423, adianta o INEM em comunicado.

Perante um pedido de socorro, via 112, os Centros de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) do INEM selecionam os meios mais adequados para enviar para cada situação de emergência médica, com base na situação clínica da vítima.

O INEM salienta que os meios de emergência destinam-se a ser utilizados ¿em situações de risco de vida iminente ou quando está em causa uma função vital da vítima¿, devendo, por isso, ser ativados ¿com critérios rigorosos¿.

O INEM aconselha os cidadãos a ligarem para o 112 em caso de acidente ou doença súbita e a informarem, ¿de forma simples e clara¿, o número de telefone do qual estão a ligar, a localização exata e, sempre que possível, com indicação de pontos de referência, o tipo de situação, o número, sexo e idade aparente das pessoas a necessitar de socorro, bem como das queixas principais e as alterações que observam.

No caso de não ser necessário enviar um meio de emergência, as chamadas serão encaminhadas para a Linha Saúde 24, diz ainda o INEM.