Taxistas e apoiantes da coligação PSD-CDS/PP envolveram-se esta sexta-feira em escaramuças durante o comício de encerramento da campanha eleitoral na Praça da Figueira, em Lisboa, constatou a agência Lusa no local.

Centenas de táxis, que saíram em marcha lenta do Aeroporto de Lisboa, estacionaram no Martim Moniz, para se concentrarem na baixa lisboeta em protesto contra a empresa de transportes que utiliza a aplicação Uber.

Apesar do cordão policial, os taxistas conseguiram chegar à Praça da Figueira, onde houve troca de palavras, empurrões e agressões, entre alguns destes profissionais e apoiantes da coligação Portugal à Frente (PAF).

Não foi necessária a intervenção da polícia, uma vez que os ânimos acabaram por ficar mais calmos.

No momento em que foram anunciados os nomes de Pedro Passos Coelho e de Paulo Portas, os taxistas assobiaram.

Uma delegação da Associação Nacional dos Transportadores Rodoviários em Automóveis Ligeiros (ANTRAL), liderada pelo seu presidente, Florêncio de Almeida, tinha a indicação de que iria ser recebida hoje pelo primeiro-ministro.

Contudo, Vítor Carvalhal, dirigente da ANTRAL, disse à agência Lusa que foram informados pelo diretor de campanha da PAF de que não havia condições para que Passos Coelhos os recebesse hoje, assumindo este o compromisso de receber a delegação da ANTRAL “na próxima semana”.

A concentração de hoje dos taxistas marca o final de uma semana de ações espontâneas para lembrar à ministra da Justiça que prometeu fazer cumprir a legislação que obriga a ter licenças para transportar passageiros, segundo a ANTRAL.