A Polícia Judiciária (PJ) anunciou hoje, em comunicado, que desde o início do ano procedeu à identificação e detenção de 23 pessoas pela autoria do crime de incêndio florestal.

Uma estudante de 19 anos suspeita de ter iniciado um incêndio no concelho de Tomar foi a última das detenções, efetuada pelo Departamento de Investigação Criminal de Leiria, encontrando-se em prisão preventiva, informou a PJ.

«A suspeita, agindo num forte quadro impulsivo, está fortemente indiciada de, no dia 30 do de julho, cerca das 15:00, ter ateado um foco de incêndio em vegetação seca, com recurso a líquido acelerante (presumivelmente gasolina)», pode ler-se no comunicado.

Neste caso, ocorrido em Tomar, as chamas consumiram uma área de cerca de 1,2 hectares de mato.

Segundo a mesma força policial, o incêndio só não atingiu maiores proporções devido à pronta intervenção dos populares, bombeiros, do Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro, bem como de meios aéreos.