«Um espectáculo mortal sem rede, eis o que pede o ministério da Educação a universidades e politécnicos. Como ainda funcionam, toca a cortar mais uns 35 milhões no orçamento do próximo ano, não cuidando da tragédia iminente. Para o ministro Crato, a investigação bem pode andar de rastos e os alunos em fuga, que o superior aguenta-se...»