O presidente da Câmara de Lisboa considerou esta terça-feira que o Grammy atribuído a Carlos do Carmo «enche ainda mais de orgulho a cidade» e «é um novo e decisivo contributo» para a internacionalização do fado.

Carlos do Carmo, a celebrar 50 anos de carreira, vai receber um «Lifetime Achivement Grammy», que distingue carreiras de referência no panorama internacional, sendo o primeiro artista português a receber este prémio.

Em comunicado, o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, António Costa, sublinha que «Carlos do Carmo é um dos artistas a quem Lisboa e Portugal mais devem».

«Este prémio enche ainda mais de orgulho a cidade, os lisboetas e todos os que gostam de Carlos de Carmo, da sua música, da sua voz e do seu fado», sublinha o autarca.

António Costa adianta que projeção internacional do fadista «contribuiu decisivamente para prestigiar» a cultura portuguesa e para «dar ao fado as possibilidades e os meios de uma afirmação mundial que culminou com a sua classificação pela UNESCO como Património Imaterial da Humanidade».

«A candidatura foi apresentada e conduzida pela Câmara Municipal de Lisboa e de que ele foi e é um grande, enérgico, incansável e insubstituível embaixador», acrescenta,

António Costa observa que é a primeira vez que um artista português é agraciado com um Grammy que distingue «figuras lendárias da música mundial, cujo legado engrandece o património cultural universal».

«Depois da consagração pela UNESCO, esta consagração pela indústria discográfica é um novo e decisivo contributo para a internacionalização do fado e de todos os seus artistas», sublinha.

O galardão, que será entregue no dia 19 de novembro no MGM Grand Garden Arena em Las Vegas, no estado norte-americano do Nevada, distingue as carreiras que constituíram contribuições criativas de excecional importância artística.