O Centro Hospitalar de Leiria (CHL) anunciou a disponibilização de novas técnicas terapêuticas para o tratamento não farmacológico da dor, como a mesoterapia ou a acupuntura.

Numa nota de imprensa enviada à Lusa, aquela unidade de saúde informa que «mesoterapia, acupuntura, eletroterapia, massagens e várias técnicas não invasivas, como bloqueios epidurais e plexos, integram as novas opções acessíveis aos doentes seguidos na Unidade de Dor do CHL e que as podem realizar após avaliação e diagnóstico médico».

Citada na mesma nota de imprensa, a diretora do Serviço de Anestesiologia e Unidade de Dor do CHL, Elisabete Valente, afirma que os doentes «vão passar a ter acesso, não só a tratamentos farmacológicos, mas também a terapêutica não farmacológica”.

«Estamos a começar esta atividade há cerca de um ano e esperamos desenvolver esta vertente terapêutica em doentes com dor», refere a responsável, adiantando que estes «tratamentos não farmacológicos são efetuados pela equipa médica e de enfermagem da Unidade de Dor».

A mesoterapia é um ramo recente da medicina clássica, que tem vindo a ser utilizada com bons resultados no tratamento de várias patologias do foro musculoesquelético, esclarece o centro hospitalar.

«Esta técnica consiste na administração de uma mistura de fármacos, em pequenas quantidades, por meio de múltiplas injeções intradérmicas aplicadas no local exato onde a ação terapêutica é desejável», acrescenta o CHL.

No caso da acupuntura, «os efeitos terapêuticos são obtidos quando, através da inserção de agulhas sólidas e finas nos tecidos, o médico consegue modular o funcionamento do sistema nervoso, do sistema imunitário e das glândulas exócrinas».

«Esta estimulação local provoca a libertação de uma série de substâncias que têm como efeito final o aumento da circulação local, com melhoria da oxigenação e do aporte de nutrientes aos tecidos», lê-se na mesma nota, esclarecendo que «cefaleias de tensão, cervicalgia, dor no ombro e lombociatalgia, e a dor musculoesquelética são as indicações médicas consensuais para a acupuntura».

A Unidade de Dor, constituída por uma equipa multidisciplinar, tem como principal objetivo «promover uma melhor qualidade de vida do doente com dor crónica».

O CHL é composto pelos hospitais de Leiria, Pombal e Alcobaça, e tem uma área de influência que abrange uma população na ordem dos 400 mil habitantes.