A Polícia Judiciária deteve duas pessoas suspeitas de fraudes transnacionais no valor de dois milhões de euros que começaram em Itália e que se estenderam por França, Espanha e Portugal.

Em comunicado hoje divulgado, a PJ indica que a operação, realizada pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção, decorreu na zona norte e centro do país e terminou com o «desmantelamento de uma fraude internacional de grandes dimensões» e a detenção de duas pessoas.

A PJ explica que o esquema fraudulento consistia na falsa promessa de financiamentos que atingiram um valor global de 3,8 mil milhões euros, levando as vítimas, várias dezenas de empresários ligados à construção civil, hotelaria e restauração, ao pagamento antecipado de avultadas quantias que ascendem a cerca de dois milhões de euros.

A cidadã portuguesa, de 55 anos, está em prisão preventiva.

No final de março e na sequência de Mandado de Detenção Europeu emitido pelas Autoridades Portuguesas, foi detido um empresário italiano, de 69 anos, que coordenava toda a atividade fraudulenta a partir dos seus escritórios em Parma.

A PJ adianta que o empresário encontra-se referenciado pelas Autoridades Italianas pela prática de diversos crimes económico-financeiros, aguardando-se a sua extradição para Portugal.