Seis estradas estavam, perto das 23:30, cortadas ao trânsito no país, devido aos incêndios que lavram nos distritos de Castelo Branco, Santarém e Setúbal, disse à agência Lusa fonte da Guarda Nacional Republicana (GNR).

Segundo fonte da GNR, estavam cortados troços da Estrada Nacional 2 (EN2), da EN244, da EN10, da Autoestrada23 (A23), da Estrada Regional 351 (ER351) e da EN3.

No caso da EN2 encontra-se cortado o troço localizado na localidade de Tapada, concelho da Sertã, distrito de Castelo Branco, existindo como alternativa o Itinerário Complementar 8 (IC8).

Também no concelho da Sertã, encontra-se cortado ao trânsito o troço da EN244 junto à localidade de Marmeleiro, apontando a GNR como alternativa a EN2 para Vila de Rei.

Ainda no distrito de Castelo Branco, mas no concelho de Proença-a-Nova, encontra-se cortada a ER351 entre os quilómetros 10 e 12 (São Pedro do Esteval).

O incêndio deflagrou na tarde de domingo no concelho da Sertã (distrito de Castelo Branco) e alastrou a Proença-a-Nova, bem como ao concelho de Mação (distrito de Santarém).

No mesmo distrito encontra-se também cortada ao trânsito a EN3, entre os quilómetros 182 e o 196, na localidade de Perdigão, concelho de Vila Velha de Ródão.

No distrito de Setúbal, o fogo que lavra na localidade da Reboreda, perto da cidade de Setúbal, obrigou ao corte da circulação na EN10 entre os quilómetros 32 e 38 (localidade de Viso), existindo como alternativa o cruzamento de Albarrasca, na serra da Arrábida.

Já no distrito de Santarém, encontram-se cortados ao trânsito os troços entre o quilómetro 49 e 77 da A23 (Abrantes-Mouriscas), sendo apontadas como alternativas a EN118 e o Itinerário Principal 2 (IP2).

Segundo a página da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC), às 23:30, a nível nacional registava-se 54 incêndios rurais, que estavam a ser combatidos por 2.921 operacionais, apoiados por 907 meios terrestres e um aéreo.