Três pessoas foram detidas e 1.400 quilos de cocaína foram apreendidos numa embarcação de recreio a sul da ilha do Faial, grupo Central dos Açores, que tinha como destino o continente europeu, anunciou a Polícia Judiciária (PJ) nesta terça-feira.

Em comunicado, a PJ adianta que em colaboração com a Marinha e a Força Aérea, desencadeou nos últimos dias uma operação de combate ao tráfico ilícito de estupefacientes por via marítima (Operação Mar Azul) da qual resultou a interceção, em pleno Oceano Atlântico, a sul da Ilha do Faial, de uma embarcação de recreio que estava a ser utilizada no transporte de cocaína.

A bordo da embarcação seguiam três homens de nacionalidade estrangeira que foram detidos e que de acordo com os elementos probatórios até agora coligidos pela investigação integram uma organização criminosa de dimensão transnacional implantada em diferentes países do continente europeu e da América Latina”, explica a PJ.

A polícia criminal adianta que a droga apreendida estava a ser transportada das Caraíbas para o continente europeu para ser distribuída por diferentes países.

De acordo com a PJ, a droga, com um peso total aproximado de 1.400 quilos, “vinha acondicionada em compartimentos criados para o efeito na estrutura da embarcação sob os depósitos de combustível, que apenas foram localizados depois de minucioso e intenso trabalho das equipas da Polícia Judiciária que foram apoiadas por elementos da Polícia Marítima e da GNR”.

Os detidos, com idades entre os 38 e os 51 anos de idade, foram presentes a primeiro interrogatório judicial tendo-lhes sido aplicada a medida de coação de prisão preventiva.

A operação resulta de uma investigação iniciada recentemente pela Unidade Nacional de Combate ao Tráfico de Estupefacientes da Polícia Judiciária na sequência de profícua troca de informações com a National Crime Agency do Reino Unido no quadro do Maritime Analysis and Operations Centre - Narcotics (MAOC-N), organismo internacional com sede em Lisboa.

A investigação prossegue a cargo da PJ em cooperação com as autoridades de outros países, designadamente do Reino Unido.