Uma menina de quatro meses morreu esta sexta-feira numa creche na Torre de Moncorvo, em Bragança, não sendo ainda conhecidas as causas do óbito, disseram à agência Lusa fontes dos bombeiros e da GNR.

Fonte dos bombeiros locais disse à Lusa que receberam o alerta, via Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU), pelas 16:05, para uma criança de quatro meses que estaria em paragem cardiorrespiratório, na creche do Centro Paroquial de Moncorvo.

“Confirmou-se que a menina estava em paragem cardiorrespiratório e foram efetuadas de imediato as manobras de suporte de vida. Depois foi para o local um helicóptero do INEM, mas o óbito acabou por ser declarado no local pelo médico”, disse.

Fonte da GNR explicou à Lusa que a pessoa encarregue pela criança na creche do Centro Paroquial de Moncorvo deitou a menina, mas que estranhou a demora desta em acordar.

“A pessoa encarregue pela menina estranhou a demorar em acordar e quando se aproximou ficou com a ideia que já estaria cadáver, contactando logo os meios de socorro”, disse fonte da GNR.

Segundo a mesma fonte, a criança não tinha sinais de doença nem qualquer marca física no corpo.

“Foi contactada a Procuradoria, que ordenou de imediato que fosse efetuada a autópsia, para determinar a causa de morte”, concluiu.

O diretor do Centro Paroquial de Moncorvo, padre João de Barros, disse à Lusa que a creche vai reabrir "dentro da normalidade possível", na segunda-feira.

O diretor da instituição adiantou que "os pais da criança estão a receber apoio psicológico prestado por profissionais do Instituto Nacional de Emergência Medica".

Segundo a mesma fonte, ainda não são conhecidas as causas do óbito, tendo o corpo seguido para o Gabinete de Medicina Legal.