O incêndio na zona industrial de Tondela que está a destruir uma fábrica de reciclagem de equipamento eléctrico e electrónico, localizada na Zona Industrial do Lajedo, em Santiago de Besteiros, é de "difícil combate" e pode levar várias horas a resolver, segundo os bombeiros. 

As chamas estão "a libertar muita energia" e "eventualmente [o combate] pode durar até amanhã, porque há um trabalho muito longo de combate e posterior rescaldo.


O 2º comandante de operações distrital de Viseu, Rui Nogueira, deu ainda conta que está a ser feita "uma proteção das exposições". "Ardem resíduos diversos de uma empresa de reciclagem, mas estamos a conseguir com sucesso confinar o incêndio ao lote de resíduos e a proteger para que não alastre para outras zonas na empresa", acrescentou.

Não é viável a utilização de meios aéreos num incêndio com estas características: "Usámos um meio aéreo, há algumas horas atrás, porque houve uma progressão para a zona florestal. Aí, atuamos com um meio aéreo e com meios terrestres e dominamos o fogo".

A meio da tarde,  o CDOS de Viseu tinha descrito à TVI24 o estado da situação.

"Está a arder o plástico que se encontra no parque da empresa, mas o edifício não foi atingido. Não há feridos", descreveu.


O presidente da Câmara de Tondela, José António Jesus, informou ainda que o município colocou no terreno um equipamento de rasto para rapidamente estancar a área e delimitá-la, de forma que não chegasse a outros espaços da empresa.

"Trata-se de material altamente inflamável, na medida em que sendo uma unidade vocacionada para o tratamento e reciclagem de material elétrico e eletrónico, naturalmente que tem um conjunto de componentes altamente inflamáveis"


Quanto a prejuízos para a empresa, o autarca considerou que ainda é prematuro abordar a questão. Facto é que o incêndio assolou stocks de matéria e não a unidade fabril.

"Haverá danos com impacto no ciclo de laboração normal, mas não está em causa a atividade principal associada à transformação e à matéria-prima aqui feita. Foi tudo na zona de armazenamento exterior".


No local encontram-se 161 bombeiros, das corporações de Tondela, Santa Comba Dão, Mortágua e Viseu, apoiados por 61 viaturas.

O fogo na fábrica terá originado ainda um incêndio em mato.

A Interecycling foi fundada em 1999, sendo a primeira empresa de reciclagem de resíduos de equipamento elétrico e eletrónico (REEE) da Península Ibérica.