A Polícia Judiciária do Centro anunciou esta quinta-feira duas novas identificações e detenções de presumíveis autores dos crimes de incêndio florestal, elevando para 50 o número de pessoas detidas por este tipo de crime. A maioria, segundo revelou a PJ, está em prisão preventiva.

Em comunicado, a Polícia Judiciária (PJ), através da diretoria do Centro, explica que um dos suspeitos, de 52 anos, sem profissão, terá usado dois fósforos, «sob forte impulso», para atear «dois focos de incêndio», na terça-feira, «numa zona florestal conhecida por Encosta Trás da Lomba, Caramulo, Tondela, povoada por mato, pinheiros, carvalhos, cedros e eucaliptos».

As duas detenções contaram com a colaboração da GNR de Santa Comba Dão e de Vila Nova de Poiares.

«No segundo caso trata-se de um suspeito de 21 anos, solteiro, trabalhador rural, que, na tarde do dia de ontem [quarta-feira], ateou um incêndio no lugar de Valeiro das Hortas, Santo André, Vila Nova de Poiares, que consumiu cerca de 10 metros quadrados, pondo em perigo floresta contígua e habitações, que só não atingiu maiores proporções dada a pronta intervenção dos Bombeiros», acrescenta.

Os detidos vão ser presentes às autoridades judiciárias para primeiro interrogatório e aplicação das medidas de coação tidas por adequadas, diz ainda a PJ.

«No corrente ano a Polícia Judiciária procedeu já à identificação e detenção de 50 pessoas pela autoria do crime de incêndio florestal», indica o comunicado.