Cerca de 1.100 professores estão envolvidos na classificação do teste de diagnóstico de inglês realizado na quarta-feira por 121.000 alunos, anunciou hoje o Ministério da Educação, admitindo realizar mais testes e de maior dificuldade no futuro.

Prova de inglês do 9.º ano foi «insulto à inteligência»

O teste «Key for Schools» foi concebido pelo Cambridge English Language Assessment, da Universidade de Cambridge, consiste numa componente escrita e numa componente oral e foi introduzido no sistema educativo português este ano.

«A avaliação externa da capacidade de compreensão e expressão oral de uma língua estrangeira, aspeto essencial do domínio de uma língua, estava ausente da avaliação externa há várias décadas. Só o facto de se ter reintroduzido a avaliação oral representa um importante passo em frente para o nosso sistema de ensino das línguas», defende o ministério em comunicado.

De acordo com a tutela, por ser o primeiro ano de aplicação «considerou-se mais prudente disponibilizar uma prova cujo foco se centra no nível A2, mas que permite também a atribuição de um certificado de nível B1».

O ministério admite, porém, que uma prova mais exigente venha em breve a ser recomendável para os alunos do 9.º ano.

«Relembramos que só de há dois anos a esta parte o Inglês foi tornado disciplina obrigatória no currículo, e só a partir dessa data se tornou obrigatório para todos os alunos ao longo de cinco anos», justifica-se no documento.

O ministério vai avaliar os resultados e estudar, juntamente com o Instituto de Avaliação Educativa (IAVE) «a possibilidade de vir a ser aplicado aos alunos do 9.º ano o teste Preliminary for Schools, cujo foco é o nível B1, e que permite também aos alunos alcançar um certificado de nível B2, se o resultado for superior a 90 por cento».

Em relação ao Ensino Secundário, está em estudo a possibilidade de «a muito curto prazo propor», num modelo agora adotado para o Key for Schools, ser feito um teste que certifique o nível B2 ou superior, como é o caso do First for Schools.

O Key for Schools foi concebido pelo Cambridge English Language Assessment, da Universidade de Cambridge, e já foi realizado por mais de 1,2 milhões de alunos de cerca de 100 países, lembra o ministério.