O serviço de cessação tabágica da Linha Saúde 24, previsto começar a funcionar no domingo, afinal não vai arrancar antes da publicação da lei do tabaco.

Segundo o coordenador da linha Saúde 24, o Ministério da Saúde aguarda pela publicação da lei do tabaco, atualmente em discussão na Assembleia da República, para a fazer coincidir com o arranque da linha para ajudar a deixar de fumar.

No entanto, Sérgio Gomes afirmou desconhecer para quando poderá estar prevista a publicação da lei e, consequentemente, o arranque do serviço de cessação tabágica.

O administrador da empresa que gere a Linha Saúde 24, Luís Pedroso Lima, disse à Lusa ter tido indicações da Direção-Geral da Saúde para não avançar pelo menos até quarta-feira.

A linha de cessação tabágica foi anunciada pela primeira vez no final de agosto do ano passado, com data prevista para final do mês seguinte (setembro).

No final de novembro, o secretário de Estado da Saúde Leal da Costa anunciou para o início de 2015 o seu arranque, bem como a revisão da lei do tabaco.

Em abril, a linha ainda não estava a funcionar e foi anunciada pelo Ministério da Saúde a criação de um portal de atendimento on-line da Linha Saúde 24, um sistema de atendimento e acompanhamento dos utentes semelhante ao que é feito telefonicamente, mas através da internet.

Na altura, o secretário de Estado Adjunto do Ministro da Saúde disse pretender que ambos os serviços arrancassem na mesma altura, sendo que a data prevista para a linha de cessação tabágica era então 31 de maio, "Dia mundial sem tabaco".

Esta linha continuará afinal a aguardar a publicação da lei do tabaco, mas o portal deverá estar disponível antes disso.

“Queremos lançá-lo entretanto. De certeza antes da linha de cessação tabágica. Estamos só a fazer testes e a verificar” o seu funcionamento, disse à Lusa Sérgio Gomes, sem no entanto avançar qualquer data.