A autoridade do medicamento suspendeu o uso dos implantes testiculares Kiwee, que desde 2010 foram aplicados em 850 portugueses, porque o fabricante perdeu a certificação europeia.

De acordo com uma circular do Infarmed, foi a empresa que distribui os implantes (Coloplast Portugal) que “comunicou a suspensão voluntária” da distribuição destes dispositivos.

Isto porque o produtor dos implantes (empresa Silimed) viu recentemente ser suspenso o certificado CE.
 

“Esta decisão por parte do organismo notificado alemão, que auditou a fábrica no Brasil, resultou da verificação da existência de partículas não previstas na superfície de alguns dispositivos”, lê-se em circular do Infarmed.


Ângelo Maria, gerente da Coloplast Portugal, disse à agência Lusa que a empresa decidiu suspender a distribuição dos implantes “por uma questão de ética”.

Isto porque não há registo de perigos para a saúde da pessoa implantada.

Ainda assim, a empresa anunciou um conjunto de cinco referências destes implantes que devem ser colocados em quarentena, além da suspensão da sua implantação.

Também por “medida de precaução”, o Infarmed determinou “a suspensão da utilização dos implantes testiculares Kiwee”.

Compostos por gel ou silicone sólido, os implantes testiculares destinam-se a corrigir casos de má-formação congénita, traumatismo e lesão testicular mórbida.

Em Portugal, há registo do implante de 850 dispositivos desta marca, desde 2010.